quarta-feira, 22 de abril de 2009

Sugestão de leitura

"Um homem jamais pode entender o tipo de solidão que 
uma mulher experimenta. Um homem se deita sobre o útero 
da mulher apenas para se fortalecer, ele se nutre desta 
fusão, se ergue e vai ao mundo, a seu trabalho, a sua batalha, 
sua arte. Ele não é solitário. Ele é ocupado. 
A memória de nadar no líquido aminótico lhe dá energia, 
completude. A mulher pode ser ocupada também, mas ela se 
sente vazia. Sensualidade para ela não é apenas uma onda de 
prazer em que ela se banhou, uma carga elétrica de prazer no 
contato com outra. Quando o homem se deita sobre o útero dela,
 ela é preenchida, cada ato de amor, ter o homem dentro dela, 
um ato de nascer e renascer, carregar uma criança e carregar 
um homem. Toda vez que o homem deita em seu útero se renova no 
desejo de agir, de ser. Mas para uma mulher, o climax não é o 
nascimento, mas o momento em que o homem descansa dentro dela."


Anais Nin

Nenhum comentário: