terça-feira, 12 de maio de 2009

Coração Inóspio



Paixão derradeira,
que incendeia
me anseia
e me mata

Fruto ainda verde
respousa o quadro na parede
ainda tenho sede
e me mata

Desata
e destrói
ainda ama
ainda dói

Penso,
Consigo.
desisto!
E ainda me mata...

Me escondo
entre escombros
meu coração destruído
ainda doído

Ferida eterna,
de ninguém é a culpa
ou, é dele próprio:
coração inóspio.

(KS) 12/05/09

Um comentário:

wagner disse...

O homem que domina as palavras domina o mundo.

O homem que domina o coração não existe.