quinta-feira, 30 de julho de 2009

O doce veneno do escorpião

Esse é o título do livro da Bruna Surfistinha. Ela era uma garota de programa, se tornou conhecida em programas de televisão. E lançou seu livro há algum tempo atrás. Eu tive o prazer de lê-lo mês passado. Vou passar a vocês o LINK para baixar.


Este livro está longe de ser considerado best-seller ou qualquer coisa do gênero. Até nem é muito bem escrito, mas o que me interessou foi exatamente isso. O modo como ela mesma, sem instrução literária, conseguiu colocar no papel tão claramente sua biografia. Depois de ler, criei uma visão um pouco diferente sobre essa profissão.
Espero que gostem!

terça-feira, 28 de julho de 2009

Matar sem efeito

Matar sem efeito
é uma idéia que nada merece
é uma idéia que não cresce
vem e daparece
de fato, certas vezes permanece

ah! quer saber?
esquece...

vou apenas apontar meu lápis
e afiar minha tesoura
preparar tem mais efeito
que o fato feito
preparar é o antes
ideias desconexas e distantes
me mande as folhas anexas
e as flores mortas
abras as portas...
Vou viajar de avião!
As folhas?
são bombas plantadas no chão
as flores?
são a beleza que do morto enfeita...

pergunto-me, por que que viva estão?
porque esse inúteis precisam pensar que fazem,
quando na verdade assistem.


KS 28/07/09

sexta-feira, 24 de julho de 2009

.
meus sentimentos também não fazem sentido
meus pensamentos já distantes o suficiente também nao fazem
indefinidos apenas. não sei dizer
apenas que você está neles
não importa onde nem quando, mas está
não sei o que querem dizer, mas voce está lá.
apenas... nao pergunte e continue aqui comigo.
faça-me companhia.
horas ruins virão, apenas preciso de voce comigo.
quem sabe amanhã poderemos nao estar mais juntos.
e um adeus tomará conta de nossos corações.


KS 24-07-09

terça-feira, 21 de julho de 2009

Uma carta

Fiquei a ouvir hoje minhas músicas antigas. Apaguei aquelas fotos que um dia mostraram nossos sorrisos dados de bom grado um ao outro. Esses mesmos que hoje dão lugar a pequenas e secas lágrimas.

Fiquei sentado na frente da tela desse computador apagando os inúmeros arquivos com poemas apaixonados que você fez para mim.Reli um a um a medida que apagava. Não me arrependi de nada que fiz. Não me senti culpado por ter simplesmente saído da sua vida.

Fiquei feliz, pois vi que você nunca precisou de verdade de mim e continuará como sempre foi.

Vai achar alguém para você. Estou apenas te apagando...Não que eu imagine que dê para simplesmente te deletar da minha mente, mas de fato, acho que posso amenizar minha dor se não precisar olhar para os objetos ou arquivos de uma pasta qualquer e lembrar que um dia, mesmo que por pouco tempo, existiu você.

Você que me fez o homem mais feliz, mas que hoje já não tem essa força. Lembro que quando te conheci, você era alegre. E seu sorriso me conquistou no mesmo minuto em que te vi. Pensei que poderia te amar a cada segundo para toda minha vida. Mas não sabia o quão difícil seria. Hoje olho pra trás e não vejo mais sorrisos nem afeto nos últimos momentos junto contigo. Possivelmente eles já não existiam. Então resolvi sair. Desculpe por não te deixar uma carta ou explicação sequer.

Não conseguia. Juro. Tentei começar umas 10 cartas, mas nenhuma seria suficiente para explicar essa decisão. Talvez se interesse em saber... Estou velejando pelo pacífico, como era meu sonho. Meu notebook me acompanha para eu não perder nenhuma inspiração que venha a surgir nessa minha mente bagunçada. Preciso por pra fora tudo que se passa no meu desajeitado coração.

Olho esse mar, e a cada por do sol pensava em você. Mas isso foi durante o primeiro. Hoje, passados 5 anos, quase não me recordo mais. Apenas observo o sol. Como se ele tivesse marcado bons momentos da minha vida. Meu cérebro ás vezes me engana, e eu perco algumas memórias, deve ser por causa da degeneração de umas células nervosas. O médico disse que isso aconteceria. Não! não se preocupe, não estou sozinho. Tenho um enfermeiro que serviu na marinha. Ele virou meu melhor amigo... Conversamos ás vezes.

Mas só ás vezes. Não tenho paciência para muita coisa.

Hoje em especial creio que foi o dia que mais chorei desde que te deixei. Apenas acho que foram as últimas lágrimas. Não me ache cretino... Apenas queria que você ficasse bem... Não vou dizer que fiz isso pra sua felicidade.

Não! Sou muito egoísta para tal. Pelo contrário, fiz pela minha. Quando soube que eu teria poucos anos de vida, resolvi realizar meu sonho e velejar. E se deus permitir, morrerei aqui mesmo. Nessa imensidão azul...

Obrigado pela sua dedicação durante os anos em que vivemos juntos. Não chore jamais por mim, não mereço uma lágrima sequer.

Mas acredite ou não, você foi a mulher da minha vida!

Mesmo que a doença me faça te esquecer as vezes, meu coração sempre se lembrará.

KS 21/07/09

Um velho

um velho. uma criança. um choro. uma boneca. um pedido.
uma negação. uma chantagem. um consentimento. um trauma.

Um adeus

uma porta. uma cama. uns cabelos. uma boca. uma língua.
um rasgo. um barulho. um gemido.
um grito. um suspiro. um lençol. um adeus.

Feliz daqui

o homem que aqui se apresenta, da minha vida aos poucos se ausenta.
há de longe a vã esperança do retorno. e de perto vê-se a cachoeira
por entre as maçãs do rosto desta pequena.
vejo por fim o vermelho, espalhado na face, acalmar-se.
vejo então o portão da minhacasa se fechando. desculpe. mas terei que
abrí-lo de volta amanhã. não posso me dar ao luxo de resguaradr a tua falsa
morte. Beijos. até um outro dia. mais longe quem sabe. ou mais feliz daqui.

KS 21/07/09

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Meu Jazz

O que te afeta em mim, não são meus sorrisos, nem minha disponibilidade de afazeres,
mas o agitar do vento em meus cabelos e as luzes dos refletores que insistem em me seguir.
O que te afeta são as pessoas a minha volta rindo, e as lágrimas pálidas
e cálidas que tendem a cair do seu rosto. Bem queria você que isso também me afetasse,
mas para alguém que um dia foi meu tudo, você está um ótimo trapo para servir de tapete.
Hoje suas palavras se recolhem a esmo. Pois ontem, elas foram proferidas da mesma forma.
Hoje simplesmente vou sentar no meu sofá e ouvir meu Jazz, enquanto você vaga pelo seu quarto podre e fétido, em busca de algo para estancar a agua suja que insite em sair dos seus olhos mentirosos.
Hoje, é seu dia. Mas todos os dias, são meus.

KS 20/07/09