terça-feira, 21 de julho de 2009

Uma carta

Fiquei a ouvir hoje minhas músicas antigas. Apaguei aquelas fotos que um dia mostraram nossos sorrisos dados de bom grado um ao outro. Esses mesmos que hoje dão lugar a pequenas e secas lágrimas.

Fiquei sentado na frente da tela desse computador apagando os inúmeros arquivos com poemas apaixonados que você fez para mim.Reli um a um a medida que apagava. Não me arrependi de nada que fiz. Não me senti culpado por ter simplesmente saído da sua vida.

Fiquei feliz, pois vi que você nunca precisou de verdade de mim e continuará como sempre foi.

Vai achar alguém para você. Estou apenas te apagando...Não que eu imagine que dê para simplesmente te deletar da minha mente, mas de fato, acho que posso amenizar minha dor se não precisar olhar para os objetos ou arquivos de uma pasta qualquer e lembrar que um dia, mesmo que por pouco tempo, existiu você.

Você que me fez o homem mais feliz, mas que hoje já não tem essa força. Lembro que quando te conheci, você era alegre. E seu sorriso me conquistou no mesmo minuto em que te vi. Pensei que poderia te amar a cada segundo para toda minha vida. Mas não sabia o quão difícil seria. Hoje olho pra trás e não vejo mais sorrisos nem afeto nos últimos momentos junto contigo. Possivelmente eles já não existiam. Então resolvi sair. Desculpe por não te deixar uma carta ou explicação sequer.

Não conseguia. Juro. Tentei começar umas 10 cartas, mas nenhuma seria suficiente para explicar essa decisão. Talvez se interesse em saber... Estou velejando pelo pacífico, como era meu sonho. Meu notebook me acompanha para eu não perder nenhuma inspiração que venha a surgir nessa minha mente bagunçada. Preciso por pra fora tudo que se passa no meu desajeitado coração.

Olho esse mar, e a cada por do sol pensava em você. Mas isso foi durante o primeiro. Hoje, passados 5 anos, quase não me recordo mais. Apenas observo o sol. Como se ele tivesse marcado bons momentos da minha vida. Meu cérebro ás vezes me engana, e eu perco algumas memórias, deve ser por causa da degeneração de umas células nervosas. O médico disse que isso aconteceria. Não! não se preocupe, não estou sozinho. Tenho um enfermeiro que serviu na marinha. Ele virou meu melhor amigo... Conversamos ás vezes.

Mas só ás vezes. Não tenho paciência para muita coisa.

Hoje em especial creio que foi o dia que mais chorei desde que te deixei. Apenas acho que foram as últimas lágrimas. Não me ache cretino... Apenas queria que você ficasse bem... Não vou dizer que fiz isso pra sua felicidade.

Não! Sou muito egoísta para tal. Pelo contrário, fiz pela minha. Quando soube que eu teria poucos anos de vida, resolvi realizar meu sonho e velejar. E se deus permitir, morrerei aqui mesmo. Nessa imensidão azul...

Obrigado pela sua dedicação durante os anos em que vivemos juntos. Não chore jamais por mim, não mereço uma lágrima sequer.

Mas acredite ou não, você foi a mulher da minha vida!

Mesmo que a doença me faça te esquecer as vezes, meu coração sempre se lembrará.

KS 21/07/09

Um comentário:

Tesão disse...

Muito bom!

Comovente.