terça-feira, 4 de agosto de 2009

órgãos desfalecidos

Ainda há pouco tive vontade de vomitar tudo. Tudo do nada que eu comi hoje. Parecia que vomitaria todo o esôfago seguido do estômago. Ele ficou embrulhado. A dor não parava. Subia e descia. Senti até no útero. Como se todos os meus órgão quisessem escapar. Queria por alguns segundos que eles escapassem. Me faltou ar, aí pareceu que o pulmão havia se desfeito. Chorei. Esperneei no chão. Eles lutavam dentro de mim. Eu queria que eles explodissem, e que eu fosse junto. Só isso que eu pedi. Uma prece não concedida, como tantas outras. Apenas, joguei de joelhos ao chão. E o ar faltou novamente. Pronto! Foi o outro pulmão. Vã esperança. Estavam todos lá desgraçados. Vendo a minha queda. Nem seque pra me ajudar? Que tipo de partes de mim vocês são? Bando de carnes com veias inúteis. Pensam que preciso de vocês? Não preciso. Não se quero morrer. Apenas, me deixem febril. Merda, nem isso arranquei. Senti a testa quente. Coloquei o termômetro. 36.2 ºC. Merda tripla. Nem doente sou capaz de ficar. Órgãos in úteis, né pra ficarem infeccionados vocês servem! Só pra fazer doer. E isso já me basta um.


Nenhum comentário: