domingo, 10 de outubro de 2010

Carta para Alguém.

Quinta-feira, 02 de Setembro de 2010.

É difícil parar um minuto do seu dia agitado para ver o sol em esplendor todo; para observar a elegância da lua com seus refletores feitos de estrelas; para perceber que o entardecer a cada dia é mais tarde, pois logo chegará o verão, e que o amanhecer é cada dia mais cedo, pois mais tempo o sol quer dar a você.

Quantas vezes não sonhamos em descansar nas tardes fresquinhas do fim de inverno, deitados em redes e apenas observar os minutos passarem, cada segundo meticulosamente medido.

É numa tarde como esta que te escrevo. Estou deitada na minha rede, observando o sol se esconder por trás dos prédios. Observando o vento que balança levemente o tecido da cortina.

(...)

Um grande poeta já dizia que nós começamos a morrer quando nascemos. Eu concordo com ele, e é por isso que eu te aconselharia inúmeras vezes não deixar coisas não feitas para trás; por medo ou insegurança. Mas que sou eu para dizer isso?

(...)

O que eu realmente desejo é que você encontre seja lá que procura, e que faça disso o melhor que puder.

(...)


Com Carinho,

Kika

Nenhum comentário: